segunda-feira, 17 de março de 2014

A liberdade segundo Bombardi

Quando criança eu sempre fui um dos mais baixinhos, mais introvertidos e mais nerds. Então, pode ter certeza que eu era um dos mais zuados. Lembro de uma vez, ainda muito pequeno, vir chorando pra minha mãe pra contar que os outros meninos implicavam comigo. Ela então me deu um conselho que me libertou para sempre. Ela disse: "Ah seu bobo, não liga pra eles! Eles implicam porque eles gostam de você. Tira sarro deles também". Tudo bem, talvez minha mãe não ganharia o prêmio de psicóloga infantil do sécolo 21. Mas funcionou pra mim na década de 80. Daquele dia em diante eu me tornei cada vez mais livre.

Mas não foi só da zueira que ela me libertou, ela me libertou de uma prisão muito maior. O vídeo abaixo expressa essa idéia muito bem. A idéia de que "a verdadeira liberdade é a realidade mais óbvia e importante, mas que costuma ser a mais difícil de se ver ou de se discutir". Esse vídeo mostra como podemos simplesmente "viver a vida de um modo automático, aceitando que aquela é a única realidade possível e que o resto do mundo é composto por pessoas estúpidas, mal educadas e repulsivas que só estão ali para nos atrapalhar". A alternativa é fazer uma "escolha consciente". É difícil, leva tempo. Mas "se você quiser realmente aprender como pensar, como prestar atenção, então você vai perceber que existem outras opções".



Essa idéia é particularmente importante para jovens de baixa renda. Aqueles que estão aí lutando pelo privilégio de estudar em uma universidade, por um emprego melhor, por uma vida melhor. É pra vocês que esta escolha é crucial. Assim como vocês, eu tive que lutar por estas coisas. E eu comecei o meu caminho ainda dentro de uma prisão. Eu queria subir na vida para poder ser livre. Livre para fazer o que eu quisesse. Livre para ter tudo aquilo que eu sempre quis e nunca pude ter em minha juventude. Um carrão, as melhores roupas de marca, frequentar as melhores baladas, etc... Mas a ironia é que o caminho que eu segui para conquistar estas coisas foi o mesmo caminho que me fez perceber o que é realmente importante. Estas coisas só servem para nos prender numa vida de aparências.

Cursinho Popular TRIU.
Há 11 anos oferecendo oportunidades a jovens de baixa renda.
Pense em todas as outras coisas que nos prendem. Pense em como você deixa de fazer algo que te faria feliz porque seus amigos tirariam sarro de você. “Não liga pra eles!” Pense no relacionamento afetivo abusivo que você acredita que deve manter porque a sociedade te diz que “é a coisa certa a fazer”. “Não liga pra eles!” Pense nos familiares que te desencorajam a seguir seus sonhos, porque eles querem te proteger por terem se machucado perseguindo seus prórpios sonhos. “Não liga pra eles!” Pense na culpa que sentimos associada a todo discurso moralista que nos diz quem devemos ser ou quem devemos amar. “Não liga pra eles!” Homem não chora. “Não liga pra eles!” Mulher tem que se dar o respeito. “Não liga pra eles!” Estudar é coisa de rico, pobre tem é que trabalhar. “Não liga pra eles!”

Como o vídeo diz: “o valor real de uma educação real não tem nada a ver com conhecimento, mas tudo a ver com simples consciência ”. Então, jovens, eu deixo um conselho:
"Se você entender o sistema, você vence o sistema. Liberte-se"

Nenhum comentário:

Postar um comentário