segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Quem são os moradores de rua?

De acordo com o Instituto Brasieiro de Geografia e Estatística (IBGE), 1.8 milhões de pessoas são moradores de rua no Brasil. Só na cidade de São Paulo são 15 mil (censo 2010), 5 mil a mais do que a dez anos atrás (censo 2003). Mas não se preocupe, a copa do mundo está aí para “limpar” os centros das grandes cidades. Mas antes que os moradores de ruas desapareçam da sua vista, então solucionando o problema definitivamente pra você, você já parou pra pensar quem são estas pessoas e por quê elas vivem nas ruas?

Existem poucos estudos sobre moradores de ruas no Brasil. Sabe-se que o grupo de moradores de rua é bastante heterogênio. Existem pessoas de várias idades e estados civís, vivendo sozinhos ou em família e morando nas ruas ou em abrigos improvisados. As principais causas que levem pessoas `as ruas são: violência, dependência química, desemprego e condições de saúde.

http://noalmaltrato1995.files.wordpress.com/2011/12/maltrato-fisico.jpg

A principal forma de violência é a violência doméstica, que pode ser física ou psicológica e muitas vezes movida por preconceitos.
http://www.monografias.com/trabajos35/violencia-familiar/Image2990.gif

A violência doméstica afeta principalmente mulheres, idosos, jovens e crianças.

http://farm7.staticflickr.com/6213/6338300257_a7e75147c1_b.jpg
A dependência química (incluindo o álcool) leva as pessoas as ruas onde elas encontram as formas e a liberdade necessárias para manter seus vícios.
O desemprego afeta principalente imigrantes mal sucedidos e ex-detentos.

http://www.flickr.com/photos/cbnsp/5677974386/in/photostream/
Tom Zé sem-teto
do blog to Milton Jung
Em relação à condições de saúde, as famílias muitas vezes têm preconceito ou não têm condições de cuidar de pessoas como portadores do vírus HIV, deficientes físicos, e até de pessoas com hanseníase. Mas a grande maioria dos moradores de rua com problemas de saúde são pessoas com algum tipo de sofrimento mental.

Não precisa ter muito miolo no cérebro para conectar os pontos e entender que as causas que levam uma pessoa a viver nas ruas não são independentes entre si. Talvez a deficiência mental levou a pessoa a usar drogas. Ou talvez o uso de drogas serviu como um gatilho para uma pré-disposição à certo sofrimento mental. Não fui capaz de encontrar uma estimativa da porcentagem dos moradores de rua do Brasil que têm deficiência mental. O que já mostra o quanto o Brasil se importa com o problema. Nos Estados Unidos, cerca de 39% dos moradores de rua apresentam alguma forma de deficiencia mental, sendo que 22% apresentam deficiência mental severa (algumas fontes aqui e aqui). Ou seja, se as estatísticas forem semelhantes no Brasil, no mínimo um a cada 4 moradores de rua não têm condição de manter um emprego, mesmo se tivesse a oportunidade de trabalhar.

Recentemente, o blogueiro Leonardo Sakamoto criou uma enquete sobre preconceito em São Paulo (clique aqui) onde você podia escolher a expressão preconceituosa ouvida nas ruas que mais te incomoda (veja o resultado da enquete aqui). Uma delas era: “Tá com dó [de dependente químico ou sem-teto]? Leva pra casa!”. Este é um mantra reacionário de quem não sabe e nem quer saber as causas do problema. Uma vez que você tem consciência de que a maioria dos moradores de rua não têm condições pscicológicas de viver uma vida “normal”, esta frase torna-se no mínimo cruel.

Muitas das informações utilizadas neste texto foram tiradas de informações disponibilizadas no site do IBGE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário